Sobre ‘FIA x Red Bull’

Um dos assuntos mais espinhosos que estão latentes nestes dias é a polêmica decisão da FIA em proibir – a partir de Silverstone – o tal do ‘escapamento aerodinâmico’, que como diz o próprio nome, consegue o feito de adquirir um efeito aerodinâmico, justamente o que o regulamento proíbe.

O mais contraditório nessa história é que a FIA decide tirar de vigência uma das causas que contribuem para o bom desempenho do RB7 (sugiro ler a ótima análise técnica de Lívio Oricchio) e justamente no meio do ano, nona etapa do mundial, por simplesmente estar fora das regras. O que certamente é um fato, mas a pergunta é: Porque agora e não no começo desta temporada?

Se até o início em Melbourne não se imaginava que o Red Bull seria tão competitivo, não haveria nenhuma causa aparente para proibir nada nele. Mas o fato é que este se mostrou até melhor e mais confiável do que em 2010 e o projeto pensado por Newey deu realmente um ‘tapa na cara’ dos que sonhavam com o equilíbrio de forças.

Há mais fatos que comprovam a tese de que a decisão da FIA é ‘meramente ilustrativa’ e só colocada em prática para que o campeonato não tenha seu campeão prognosticado com 5 meses de adiantamento – Claro que nenhum de nós quer isso, mas bloquear uma ótima ideia do atual gênio da F1, Newey, é no mínimo não ter um pouco de respeito com a Red Bull.

Aparantemente, não existe uma razão forte para sustentar a proibição. Porém, segundo a Pirelli, pelo menos um risco com a saída dos gases do escapamento e os pneus está cogitada:  “Os escapes do RB7 estão muito próximos aos pneus, sendo que deveriam estar ao menos 40 centímetros dos compostos, já que a temperatura gerada por estes gases é de 700 Cº”, diz a Pirelli.

Em tese, a Red Bull não cumpre essa regra e isso poderia efetivar algum perigo, que curiosamente até agora, passando pelos mais variados circuitos, não causou nenhum problema ou acidente.

Está claro que esta decisão é um absurdo (dos grandes), por se tratar de uma tentativa de ‘frear’ a Red Bull no campeonato, para que a audiência das provas não diminua e os espectadores não sintam que o campeão já está feito. Não que isso nunca tenha ocorrido, pois já aconteceu, mas o atual caso deveria nos fazer rever o conceito sobre a FIA.

Em resumo, é isso: Retrasar o máximo possível o título de Vettel e levar a emoção até os últimos GP’s. O engraçado é que as corridas estão muito emocionantes e este artifício não é necessário: Aliás, nem se sabe o quanto interferirá no desempenho do RB7.

Já a McLaren está mais otimista quanto a este ponto: Martin Whitmarsh prevê que o MP4-26 se aproxime cerca de meio segundo ao ritmo do carro de Vettel e Webber nas classificações, o que será um bom indicador para deixar a McLaren em melhor estado nas corridas.

Jenson tem a sua tese: “Red Bull usa os gases do escapamento sobre o difusor constantemente, sem interrupções, durante a volta cronometrada da classificação, mas não na corrida”.

Tudo isto resultará, se é que já não está ocorrendo, em uma briga entre FIA x Red Bull. “É um absurdo”, diz Newey. E ele tem razão.

30 pensamentos sobre “Sobre ‘FIA x Red Bull’

  1. FIA decide campeonato no tapetão, esse deveria ser o titulo da matéria. Não faço idéia, de até onde, essa decisão pode prejudicar o desempenho da RBR, mas que é no minimo tardia a decisão, disso não tenho duvidas. Se, o regulamento é claro, e diz, que essa emição de gazes é ilegal, como é que os carros da RBR foram liberados no inicio do ano? Se, pode trazer riscos aos pneus, por que nada de mais aconteceu até agora? A verdade, é que principalmente o carro de Vettel, anda muito mais, que qualquer outro do grid, o que tem trazido constrangimento as demais equipes, que nada conseguem fazer para mudar essa situação. Resolver, agora, no meio do campeonato, que o artificio da RBR é ilegal, é no minimo assinar um atestado de incompetencia, quanto a analise dos carros no inicio da temporada. Enfim, quando o assunto é FIA, vale tudo.

  2. Realmente, é um absurdo.
    Mas… a graça desse esporte é a perícia. Tanto dos pilotos como dos engenheiros…
    Essas manobras de regras não são novidade… são absurdas, mas não é a primeira nem será a última vez.
    Cabem ao gênios, saberem driblar os absurdos de uma entidade que só visa o lucro.

  3. Fizeram isso com a Renault em 2006, proibindo os amortecedores de massa, quando em 2005 a FIA já os havia definido como legais. Naquele ano tal proibição fez cair o desenpenho do R26 o que possibilitou a aproximação da Ferrari com Schumacher. Do contrário, Alonso paparia na metade no ano o seu segundo título.

  4. Eh, tb achei sem cabimento nenhum essa interferëncia nessa altura do campeonato(usando trocadilho). Adrian Newe deve estar uma fera, mas uma coisa é certa, a partir de Silverstone, as forças vão se nivelar mais e o campeonato vai bombar. Tö doido pra ver o Vetel duelar com os outros ponteiros, para tirar a dúvida se realmente conseguiu assimilar mais experiëncia!

  5. A FIA sempre muda pra dar mais emoção à temporada.

    Citando um caso…
    Alguém lembra do Alonso em 2006? No meio do campeonato, salvo engano, foi mudado algo sobre os amortecedores. A Renault decaiu.

    Para mim e para o campeonato é ótimo, mas para a RBR é um roubo.
    * SE é que esses gases fazem mesmo a diferença.

    Estou ansioso pra ver essa mudança na prática.

  6. A questão é: O Blown Diffuser é realmente ilegal? Realmente tem algum item do regulamento proibindo a passagem dos gases de escapamento com efeito aerodinâmico sobre o carro?
    Porque, se tiver, TODOS os carros vão ter que usar um par de canos de escape cilíndricos esferóides, TODOS com o mesmo diâmetro, TODOS à mesma distância (altura) do assoalho, com a saída de TODOS projetada à mesma distância (comprimento) da extremidade traseira do assoalho, TODOS com a saída paralela ao solo.
    Do contrário, TODOS os carros estariam violando este suposto ítem do regulamento.

    Até onde vi, a FIA está querendo banir, durante o transcorrer da temporada, algo que nunca foi proibido pelo regulamento pelo qual as equipes deveriam se guiar para construir os carros de 2011.

    O ítem 5, que regulamenta os motores, não fala nada sobre o uso dos gases de escape.
    O ítem 3.15 (que baniu o F Duct), apenas diz que o piloto não pode influenciar a aerodinâmica do carro através de qualquer movimento do corpo: se a central de controle é quem mantem o motor acelerado para os gases continuarem fluindo, se não é a ação do piloto sobre o pedal que muda, com finalidades aerodinâmicas, o giro do motor, então este ítem do regulamento também não impediria o uso do Blown Diffuser

    Portanto, se a FIA desqualificar qualquer carro por usar o Blown Diffuser dentro dos limites da regra 3.15 (o escape é uma peça imóvel, fixa rigidamente ao carro e respeita as regras sobre o “bodywork”), ela estará sendo a primeira a violar seu próprio regulamento técnico para a temporada 2011 de Fórmula 1. Isso só seria permitido com aval unânime dos construtores.

    Portanto, Srs. Todt e Whiting, não se esqueçam que a justiça comum da maioria dos países por onde a F1 passa tem leis bastante severas contra fraudes e manipulação de resultados em eventos esportivos.
    Arranjem bons advogados. Eu espero ver o RB7 e o R31 com Blown Diffuser no Brasil. Mas também me divertiria em ver dirigentes esportivos saindo algemados de Interlagos.

    • Juliano, se a FIA esta fraudando o proprio regulamento e isso pode dar cadeia para os seus dirigentes, com certeza, não sera no Brasil, que eles vão sentir o peso da “Maõ da Justiça”. Para alguém sair algemado de Interlagos, só se for ladrão de galinhas. O pessoal da FIA, vai sair de limusine mesmo.

  7. Essa é a tão falada regra 3.15, com o último parágrafo adicionado de 2010 p/ 2011, para banir o F-Duct da McLaren e cia (controlado com o joelho ou cotovelo do piloto)

    No que ela impede o uso do Blown Diffuser?

    3.15 Aerodynamic influence :
    With the exception of the driver adjustable bodywork described in Article 3.18 (in addition to minimal parts
    solely associated with its actuation) and the ducts described in Article 11.4, any specific part of the car
    influencing its aerodynamic performance :
    -must comply with the rules relating to bodywork ;
    -must be rigidly secured to the entirely sprung part of the car (rigidly secured means not having any
    degree of freedom) ;
    -must remain immobile in relation to the sprung part of the car.
    Any device or construction that is designed to bridge the gap between the sprung part of the car and the
    ground is prohibited under all circumstances.
    No part having an aerodynamic influence and no part of the bodywork, with the exception of the skid block
    in 3.13 above, may under any circumstances be located below the reference plane.
    With the exception of the parts necessary for the adjustment described in Article 3.18, any car system, device or procedure which uses, or is suspected of using, driver movement as a means of altering the aerodynamic characteristics of the car is prohibited.

  8. Mudar as regras no meio do jogo é no minimo absurdo, deveria ter feito no inicio, agora depois dessa vantagem nao adianta, acho que eles tem medo que o campeonato termine muito cedo e perca a graça.Ou seja ,perder dinheiro!

    • Só se for porque é a única chance da McLaren chegar na RedBull, porque esta matéria não diz que a RedBull está contra o regulamento, diz apenas que a solução encontrada gasta mais combustível o que vai contra a filosofia da FIA.

      Mudar regra com o campeonato em andamento vai contra a filosofia do esporte.

      A FIA é uma grande piada, se fosse a RedBull sairia da categoria.

      • Isso mesmo, Cassius, vai contra o que prega a FIA, por isso acho que ela não está “inventando” uma proibição, como muitos disseram. Não adianta, por exemplo, ficar citando o regulamento, pois a proibição não é nesse sentido.

        A máFIA sempre mudou no meio do caminho, não é a primeira e nem será a última vez que isso acontece. Há alguma solução?! Só depende das equipes. Não adianta reclamar e continuar no esporte.

      • O que a FIA prega ou deixa de pregar, não interessa. O que interessa é o regulamento que a FIA disponibilizou para que os construtores desenvolvessem os carros de 2011 e que a FIA usou para homologar os carros no início da temporada.
        Li o regulamento técnico para 2011 procurando qualquer restrição ao Blown Diffuser e tudo que encontrei foi uma regra que diz que um piloto não poderia deliberadamente pisar no acelerador (ou fazer qualquer movimento do corpo) com a finalidade de alterar as características aerodinâmicas do carro.
        Se a ECU foi programada para manter o giro alto (e o fluxo de gases de escape), independente de qualquer movimento do piloto, não há nada no regulamento que proiba.

        Cada equipe que utilizar o Blown Diffuser está arriscando um consumo extra de combustível que pode fazer falta ao final de uma prova. Desde que não usem um tanque de combustível maior que o regulamento, nem combustível não homologado, é perfeitamente legal.

        O que não é legal é a FIA querer alterar um ítem do regulamento técnico, no meio de uma temporada, sem o consentimento unânime dos construtores.

        Aliás, a FIA não tá respeitando nem mesmo sua filosofia de baixar custos. NENHUMA das equipes vai continuar com o mesmo chassis sem o Blown Diffuser. Acredito que mesmo as equipes que não conseguiram implementar a solução vão usar o ‘banimento’ como pretexto pra voltar aos túneis de vento. E para novos testes aerodinâmicos em reta. E para novas ‘filmagens publicitárias’.

    • Volto a repetir, a incompetencia da FIA gerou esse problema. O melhor, que ela tinha a fazer agora, é se calar e no ano, que vem proibir definitivamente esse expediente. Alem é claro de verificar melhor as inovações, que os projetistas inventam para melhor o desempenho de seus carros. Agora, me parece um pouco tarde, para voltar atras.

    • Rafael, oncordo plenamente, agora esta explicado o porque da diferença da Rbr nas classificaçoes e a perda de rendimento em corrida, mais com as outras estao copiando todos vao perder com a proibiçao

  9. A Ferrari da era Shummi, dizem os boatos tinha um trunfo no assoalho do Carro, 5 anos se passaram a Ferrari arrastou vários titulos, ninguem questionou, ninguem investigou ou tentou mudar isso, pois a queridinha da FIA estava ganhando ta tudo bem. A Williams do FW12 até o 16, tinha milhares de evoluções que foram parar nos carros de rua, tbm foi massacrada pela FIA abrindo espaço para Hegemonia Ferrari/Maclaren, se uma Ferrari ou Maclaren estivesse na frente do Campeonato, nada mudaria…..

  10. Juliano

    Pelo seu comentário, percebe-se que você não entendeu nada do que foi postado no site. Sugiro que leia com mais atenção. A proibição não é no sentido: É proibida “TAL” coisa.

    Veja bem, se as equipes vão na contra mão do que prega o esporte, nada mais justo que proibir tal procedimento. ESSA é a questão.

    • Juliano

      E por, eventualmente, não continuarem com o mesmo chassi, as equipes devem continuar investindo em um sistema inútil, gastando mais, indo contra tudo o que está sendo colocado em pauta para uma F1 mais verde? Por favor, né! Quer que tudo isso vire uma bola de neve?

      A única coisa legal que você disse, foi da mudança no meio do campeonato, de resto, a FIA não está “forjando” regras, portanto, ela não precisa se preocupar com “leis bastante severas contra fraudes e manipulação de resultados em eventos esportivos”.

      Abs.

      • -Se o sistema fosse inútil, provavelmente não seria tão controverso;
        -A tal “F1 mais verde” só faz sentido politicamente. Esportivamente, não faz o menor sentido. Economicamente, toda a gasolina consumida pelos V10 3.5 até hoje (se ainda fossem usados) e pelos próximos 10 anos seria mais barata que o desenvolvimento de um único motor com injeção direta pressurizada por um único fabricante. Ecologicamente, Usain Bolt teria sido o campeão mundial de F1 ano passado, porque foi o mais rápido sem usar um litro de gasolina.
        -Se a FIA quer realmente um campeonato baseado na economia de gasolina, que seja de carrinhos de rolimã, ladeira abaixo. Basta pesar os pilotos e usar lastro pra equalizar. Ou fazer corridas apenas em ovais, onde você não desperdiça tanto combustível pra reacelerar.
        -De qualquer modo, o consumo médio dos Renault, durante o fim de semana tem sido tão mais alto que Ferrari, Cosworth e Mercedes?
        -Pauta e filosofia são uma coisa. Regulamento Técnico e Esportivo são outra. Se uma regra (limitação do uso dos gases de escapamento para fins aerodinâmicos) não existe no regulamento para aquele ano, introduzir a regra no meio do campeonato é, sim, forjar um novo campeonato.
        -As montadoras já estão querendo deixar a F1 por falta de uma definição clara do regulamento técnico de 2013. Fala pra Mercedes que só no meio de 2013 ela vai saber o que pode e o que não pode ser feito no carro…
        -Se a FIA quiser realmente virar a mesa pra reequilibrar o campeonato, basta banir as montadoras, e pedir pra Dallara construir mais 24 Hispanias, todas com Cosworth, ECU da McLaren, câmbio da Williams e KERS da Mercedes. Pra que pagar salários astronômicos pra engenheiros? Pra que túnel de vento?
        -Num comentário feito sobre o artigo do Lívio Oricchio alguém apoiou a FIA e criticou o Blown Diffuser dizendo que “o objetivo da F1 deve ser desenvolver tecnologias que possam ser usadas nos carros de rua”. Claro, né? Como os freios de carbono; Como os monocoques de fibra de carbono; Como os difusores e asas; Ué, seu VW Fox 1.0 não tem isso não? Pra que Hans? Pra que pneus slick? Por que alguém tem que passar dos duzentos se a média na marginal Pinheiros é seis e meio? Porque não usam os carros de F1 para desenvolverem ar condicionado e aparelho de som pra carro de rua tb?
        O objetivo da F1 é entreter as pessoas com corridas disputadas pelos melhores pilotos (ou pelo menos deveriam ser) nos carros de maior desempenho possível. Quer dizer, pelo menos pra quem gosta disso. Quem não gosta pode ver o Usain Bolt correndo (e imaginar que parte da fisiologia dele pode ser banida pras corridas serem mais equilibradas) ou assistir futebol (desde que os goleiros tenham todos a mesma altura e envergadura).

    • Rafael

      A FIA, em conjunto com a FOTA, estabeleceu um regulamento técnico, ditando quais seriam as limitações técnicas para os carros que disputariam o mundial 2011.

      Todos os carros deveriam ser construídos respeitando esse regulamento. Qualquer carro com alguma característica não permitida por este regulamento, ou sem alguma exigida pelo regulamento não poderia ser homologado para competir.

      Algumas equipes construiram carros que, dentro deste regulamento, exploram melhor o fluxo de gases do escapamento, com finalidades aerodinâmicas.

      Para não violar o último parágrafo do ítem 3.15 do regulamento técnico, as equipes programaram a ECU (Padrão para todas as equipes) para gerenciar o funcionamento do motor, mantendo o fluxo de gases um pouco mais constante. Até onde sei, essa programação da ECU também não fere nenhuma regra do Regulamento Técnico, nem do Regulamento Esportivo válido para o campeonato.

      Qualquer nova limitação que a FIA impuser DURANTE o campeonato, salvo por questão de segurança, deve ser acordada UNANIMENTE com os construtores. Porque os Regulamentos Técnico e Esportivo pelos quais as equipes se comprometeram a disputar o campeonato 2011 estariam sendo ALTERADOS.

      Uma situação análoga, seria, numa copa do mundo de futebol:

      -FIFA publica as regras para o campeonato;
      -Uma das seleções descobre um goleiro cuja envergadura é igual à largura do gol;
      -Isso pode, ou não, representar uma vantagem para essa seleção. NÃO IMPORTA. Nenhuma regra do futebol estabelece parâmetros com relação às dimensões dos jogadores.
      -Depois de três rodadas sem essa seleção tomar gols, a FIFA diz que a partir das 8as de final, nenhum time poderá jogar com goleiro cuja envergadura supere 33% da largura do gol;
      -NENHUMA das seleções inscritas tinha se comprometido a disputar o campeonato sob esta nova regra. A exclusão, ou qualquer tipo de penalização, para qualquer seleção que se apresente para jogar dentro do regulamento original que rege o campeonato, seria ARBITRÁRIA, ILEGAL e IMORAL.
      -Quando a seleção do ‘braçudo’ convocou seus jogadores e começou a treinar, a regra era uma. No meio do campeonato, eles vão ter que arranjar outro goleiro?

      A solução, que a FIA também deveria adotar, é: A PARTIR DO PRÓXIMO CAMPEONATO, o regulamento não permite ‘goleiros braçudos’ ou ‘controle da ECU para manutenção do fluxo de gases de escapamento junto ao difusor do carro’.

      As equipes que se utilizam desse recurso LÍCITO, não vão na contra-mão do esporte. Elas construiram carros homologados pela FIA, dentro do regulamento estabelecido pela FIA, e os ajustam para disputar as provas conforme as regras da FIA vigentes para o campeonato atual.
      Por definição, a F1 é uma competição de PILOTOS e CONSTRUTORES DE CARROS. É a vanguarda da engenharia automobilística, buscando a melhor performance possível.

      A FIA estabelecer limites para o uso do Blown Diffuser com o campeonato 2011 em andamento, seria a mesma coisa que, no meio do campeonato 1992 falar pro Frank Williams: “Olha, teu carro foi homologado, o regulamento pra esse ano não proibia suspensão ativa, não proibia controle de tração, não proibia ABS…” “Mas a partir do meio da temporada, vai proibir. Você não precisa construir outro carro: É só fazer esse de agora funcionar sem essas traquitanas todas. Passar bem”

      Felizmente, eles não foram imbecis a esse ponto, e eu tenho o pôster do FW14B aqui em casa.
      Mansell podia ter jogado outro campeonato de pilotos fora: O FW14B ainda teria sido O CARRO do ano.

      O RB7 é O CARRO do ano. Querem um campeonato diferente? Esperem o próximo. A Williams esperou de 1988 a 1991… A Ferrari esperou de 1980 a 1999. A McLaren esperou de 1992 a 1997, depois de 2000 a 2007. Que iam fazer? Pedir pra banir controle de tração no meio do campeonato? Pedir pra que todo mundo que rodava com Bridgestone até o meio do campeonato passasse a rodar com Michelin? Banir os motores turbo no meio de um campeonato que começou admitindo o uso deles?

      • Juliano

        “Controverso” é coisa criada por quem está lucrando com tal aparato. Para a filosofia da FIA, que é o que importa, o sistema é inútil.

        Sobre a “F1 verde”.
        Você pensa de um modo totalmente fora da questão. Veja bem, estão fazendo tudo o que pode ser feito, mas sem alterar o objetivo da categoria, que é ser a mais evoluída do esporte.
        A F1 sempre terá gastos, não importa o que façam, mas diminuí-los de uma forma sem prejudicar o esporte, é o caminho a seguir.

        E no caso da proibição, não foque seu olhar somente no combustível, tem todo o custo do projeto, e se a FIA não frear agora, isso pode aumentar e aumentar, criando gastos excessivos.

        E não, não é forjar um novo campeonato. Você está tão equivocado, que a proibição irá ocorrer e as equipes não encontrarão motivos para vetar.

        Concordar e Entender, duas coisas distintas. A primeira é democrática, já a segunda, é obrigação de quem assiste F1.

        Não adianta ficar citando regulamento e comparando com futebol🙂, meu caro, isso chega a ser irrisório. Não é ele que irá dissolver a legalidade da FIA. Ela está agindo da maneira correta, tanto que será introduzida a proibição e as equipes não têm o que expor para se defenderem.

        Ou você ainda continua achando que irão ser presos?🙂

      • Juliano

        Se eu fosse você, iria defender as equipes, mostrar todo o regulamento técnico que eles não conhecem. Também citaria a FIFA, CBF, passado da F1 e etc.

        Isso, sem contar o processo que abriria contra os “Srs. Todt e Whiting” por “fraudes e manipulação de resultados em eventos esportivos”.

        Caso você aceite o serviço, espero que os “Srs. Todt e Whiting… Arranjem bons advogados”.

  11. O fantastico da F1 é que quanto mais se mexe no regulamento, mais as equipes se baseian nele para burla-lo, n era Schumacker, a Ferrari foi mestre nisso, agora é a vez da Red Bull, como já foi a vez da Willians, MacLaren, parabens ao Andrew News, esse sim me surpreende quando vc pensa que ele já não serve mais na F1, ele dá o ar da sua graça e faz magica com seus desenhos e soluções para os carros que projeta, acredito que com o carro dele qualquer um vira campeão, é claro com um pouco de talento…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s