“Um dia de fúria” no Bahrein

Protestos marcados para o dia 30 de Outubro

Assim como a raiva que Michael Douglas expressou no filme de Joel Schumacher em 1993, o famoso “Um Dia de Fúria”, a população barenita não está satisfeita com a decisão da FIA sobre a fuura realização do GP do Bahrein em Outubro e está proclamando o “Dia de Ira” na data da corrida – Algo que espalha a preocupação entre jornalistas, equipes e pilotos pela segurança que será apresentada no local.

O assunto está tomando certos ares de risco para toda a comunidade da Fórmula 1 que irá se locomover para o solo do país, em um bloco que inclui jornalistas, torcedores, funcionários, equipes, pilotos além de celebridades e uma grande massa de curioso próximo ao terreno da corrida.

O fato de Bahrein ser relativamente pequeno agrava a situação e o anúncio do “Dia de Ira” por parte dos protestantes barenitas acende um alerta para o que poderia ser uma prova totalmente mal feita e sob riscos de atentados e pessoas feridas pelos protestos.

O cenário fica mais claro nas palavras de Nabeel Rajab, presidente do Centro de Direitos Humanos do Bahrein, que adverte sobre as conseqüências que a realização pode provocar:

As pessoas estão muito incomodadas e já batizaram como o “Dia de Ira” a data da corrida, para que todos saiam para as ruas e mostrar o descontentamento com o atual governo do Bahrein. Vamos aproveitar este acontecimento para expor as violações dos direitos humano no Bahrein e fazer com que o mundo veja o que está acontecendo aqui.

O curioso nessa história termina sendo a decisão (precipitada?) da FIA em confirmar a corrida no delicado estado do país. A pressão interna pode apresentar um motivo para que todo o negócio em volta da corrida não seja perdido nas mãos de Ecclestone – E é bom não esquecer que os organizadores da corrida confirmaram o país apto para receber o GP.

Porém, a certeza é que poucos dos pilotos ou chefes de equipe concordam em ir para Shakir se a segurança de todos não estiver garantida. Barrichello, presidente da GPDA (Associação de Pilotos da Fórmula 1), foi quem expressou com palavras concretas o delicado momento:

Quero estar completamente seguro de que a segurança esteja confirmada. Na reunião da GPDA, todos os pilotos expressaram sua preocupação e exigiram garantias de segurança para ali.

Enquanto outros personagens, como Ross Brawn, que diz que a realização da corrida “é totalmente inaceitável”, ou Eric Boullier, que só irá com a Renault para o solo barenita “sempre que a segurança de nosso pessoal estiver garantida”, a solução aparente para evitar qualquer acidente será cancelar a corrida novamente – De uma forma ou outra, já que dificilmente o povo será acalmado, a FIA será forçada a tomar esta decisão novamente. Uma vergonha.

18 pensamentos sobre ““Um dia de fúria” no Bahrein

  1. Tomás, me desculpe a linguagem, mas, o que esse bando de desocupados idiotas querem causando um “dia de fúria” no dia da corrida. Nada vai mudar. Realmente não entendo o que se passa na cabeça de alguns.

    • Desocupados idiotas?

      Em que mundo você vive Lucas? Como pode ser uma pessoa tão alienada?

      Você sabia que inocentes estão sendo assassinados no país apenas por se manifestarem contra a Monarquia Ditatorial que se apropria dos recursos daquele povo?

      Você sabia que os ditadores autorizaram soldados sauditas a atirar indiscriminadamente contra os grupos de manifestantes?

      Você sabia que as mortes já passam das centenas de pessoas?

      Você aceitaria ser morto apenas por se manisfestar contra o governo?

      O que se passa na cabeça dos barenitas é a possibilidade de lutar por uma vida melhor para seus filhos.

      Lutar contra uma ditadura que promove um GP para colocar U$ 46 milhões no bolso de Bernnie Ecclestone e deixa a maioria do povo em petição de miséria.

      Se isto para você é coisa de “desocupados”, gostaria de saber o que seria a categoria denominada Fórmula 1.

      Você realmente acredita que a categoria é mais importante do que o bem estar e a vida dos milhares de cidadão barenitas?

      Sinceramente, falou muita merda neste seu comentário.

      • Ok, Cassius. Eu conheço essa parte, já li a respeito. Mas isso tudo começou no Egito, deu certo, e o resto do Oriente foi na mesma onda, mas já estão a quase meio ano e nada mudou, e só mais morreram. Podem ficar mais meio ano, e provavelmente nada vai mudar. Vão chegar na situação da Siria , mais mortes irão acontecer e nada vai mudar no sentido positivo. Se ao minimo 1% da coisa, isso tudo poderia acontecer, e teriam chances de dar certo, mas não deu, e não vai dar.

  2. Cancela logo essa merd* de corrida e pronto! Não tem mais clima pra uma prova lá, as equipes, pilotos, todos estão muito preoupados!

  3. O Oriente Médio, esta em pé de guerra e isso não é novidade para ninguém. Estranho, os cartolas da FI acharem, que não havera problemas, antes, durante e depois da corrida. A população, ira aproveitar a midia internacional, para fazer chegar ao Ocidente as suas queixas, já, que a ditadura impede a fluencia de informações. Eu, no lugar deles, não deixaria passar essa oportunidade, de gritar para o mundo, que eles passam fome e vivem na miséria. O que preocupa realmente, são os mais radicais, pois deles pode se esperar pelo pior e não apenas protestos pacificos.

  4. E ficará ainda pior para a imagem da F1 se ela tiver que cancelar novamente o evento, coisa que acredito que deverá acontecer.
    O vice-presidente da FIA fez uma visita ao país, porém é claro que viu o que queriam que visse e o país está longe de estar seguro.

    A F1 corre sérios riscos se for ao Bahrein este ano e acredito que dificilmente isso acontecerá. Quando a corrida começar a se aproximar, verão realmente a situação do país e decidirão não ir.

  5. acho dificio acontecer este GP , pela falta de segurança.
    Essa é para os que inssistem em distorcer a tragetoria do maior piloto que ja existiu. AYRTON SENNA DA SILVA, O filme Senna quebra record de bileteria na Inglaterra na sua estreia. nao me espanta por que eles reconhecem o que alguns carentes de idolos , nao conseguem admitir por que preferem procurar um defeito pra desser a porrada , mais nao adianta dizer que somos fanaticos, somos apenas realistas, 17 anos depois da sua partida, ainda provoca emoçao nas pessoas, coisa que nao se ve mais,

    • Willian, você esta pregando no deserto. Depois de assistir toda a carreira do Senna, e o filme, que nada mais é que um documentario de uma pequena parte de sua carreira, o que mais me entristece, é verificar, que tem brasileiros, que insistem em dizer, que o Senna é criação do Galvão. Que eles prefiram enchergar mais os defeitos, que o Senna tinha, sem duvida alguma, que as suas qualidades é até admissivel, mas, empurrar para os mais novos, que o Senna era apenas isso e nada mais, é de uma crueldade impar. Na Argentina, o Maradona é idolo e sera sempre, porque o Argentino valoriza seus grandes idolos, independente das bobagens, que tenham feito, como fez Maradona e é publico. Eu me orgulho de ser brasileiro, paulista, araraquarense, fã do Emerson, Piquet, Ayrton, Massa e Rubens. Os outros, que falem o que quizerem, afinal, democracia é isso, só não sejam cruéis com nossos poucos idolos.

      • Acho que não é bem assim.

        O problema é que grande parte dos fãs de Senna são fanáticos e muito chatos.

        Não aceitam que se fale que ele foi um dos maiores pilotos da história da F1, exigem que ele seja reconhecido como o maior de todos os tempos, quase um Deus entre os pobres mortais.

        Não há como negar também o quanto Galvão e a Globo abraçaram o marketing do piloto, com a sua clara concordância, e enchem o saco de tanto que enaltecem o Senna.

        O fato dele ter morrido no auge da carreira e dentro da pista também é algo que contribui para toda a mística e o interesse em torno do seu nome.

        Se Senna não tivesse morrido, com certeza iríamos ver sua decadência técnica (assim como está acontecendo com Schumacher) e as opiniões sobre ele seriam mais amenas e menos apaixonadas.

        Porém, concordo que é indiscutível o carisma do Ayrton. Nesse quesito ele é realmente o maior de todos os tempos.

  6. Valeu Newton , tambem adimiro os argentinos , sao extremamente patriotas assim como os americanos, e o carisma do Senna era um misto de patriotismo, audacia,determinaçao e paixao no que fazia,
    agora chato é colocar varios apelidos de mau gosto nos brasileiros e chamar o alemao de Seb , como se fosse muito intimo do cara , francamente detesto puchasaquismos, o Vetel esta sem duvida nenhuma numa faze muito boa , e construindo a sua historia ,mais temos que esperar , ja estao dando o titulo pra ele, isso é corrida nao um jogo de xadrez, e mais dizer que Pele é o rei do futebol nao quer dizer que ele é um Deus, nunca disse isso,
    Mais com certrza ja exstiram muitos genios, na arte , na dança, na musica, na ciencia , emfim em varias modalidades, e ainda vai aparecer muitos,
    Cassius se Senna nao tivesse morrido o Shumacher nao teria tantos titulos, pela obcessao dele ele correria facio ate os 40 anos, mais com certeza ele iria perder um pouco do reflexo , mais como todos teria de parar uma hora ou outra, isso nao se discute , e mais, a ferrari seria a sua prossima equipe, e ai o alemao teria trabalho. mais sao apenas suposiçoes,
    No mais , torço para que sempre tenhamos brasileiros representando esse pais na f1, seja em que equipe for, porque os caras sao pequenos mais sao muito loucos , o tempo todo no limite do carro e da emoçao , todos eles nao importa a bandeira. adimiro muito , pra gente é facio querer que o cara pise fundo mais a familia fica apavorada , temendo que algo de ruin acontessa, e fico muito feliz so de tudo terminar em paz, por que no final o melhor é ir pra casa.
    abs.

    • “se Senna nao tivesse morrido o Shumacher nao teria tantos titulos”

      Juro que ri.

      Na próxima, quero ver os números da Mega-Sena.

      Abs.

  7. Mas posso brincar de ‘SE’ também?

    O Schumacher não iria ter tantos títulos, realmente, mas não por causa do Senna, e sim, do Prost. (Claro, SE este não tivesse abandonado a F1 depois de 93)

    Afinal, o Francês era um adversário e tanto para o Brasileiro. Sempre marcou mais pontos enquanto companheiros.

    Abs.

    • SE o Senna não tivesse morrido acredito que o Barrichello teria conseguido o campeonato mundial, pois, não teria todo o peso que foi desgarregado nele quando Senna faleceu.

  8. Voce nao entendeu , eu disse isso sao apenas suposiçoes.e com certeza o Prost era um grande adversario, por isso que o Senna é o que é , por ter disputado com os grandes, mais esse mesmo tinha medo que o brasileiro fosse pra Willians em 1993, ja o Senna nao tava nem ai pra quem fosse seu adversario,
    Mais eu entendo voce Rafael, todos nos temos antipatias, mais a questao dos numeros nao importa, as regras eram outras naquela epoca, voces precisam se decidirem entre os defeitos ou os adversarios, ou os numeros,
    Meu amigo eu vou ser curto e grosso , quem colocou o Senna como o maior poloto de todos os tempos foi quem realmente entende do assunto , pilotos e ex pilotos, o resto acha que entende. nada mais.

    • Eu acho complicado esse negocio de melhor de todos os tempos, afinal, ficamos restritos ao nosso tempo. Numa votação para o melhor do mundo, você vai votar sempre no melhor, que você viu, e não em quem ouviu falar. Dizem, que no passado, houve jogadores tão bons ou melhores, que o Pelé, mas na hora de votar, votaram em Maradona, já, que naquele tempo, via-se o Maradona. O Senna, viveu, cresceu e apareceu para o mundo, num momento muito dramatico da nossa vida politica e social. Chamou para si o patriotismo, de uma nação, que tinha vergonha de si mesma, e isso, lotou as ruas de fãs durante o seu enterro. O povo vibrava com o Ayrton, porque Ayrton era pura vibração, ele gostava do que fazia, e fazia questão de dizer a todo instante, sou brasileiro, o Brasil não é só inflação, corrupção e violencia. FI é um esporte individual, você não divide com o time os gols, que faz, você faz sozinho, comemora sozinho, é solitario. Na era Senna, muitos pilotos podiam ser os melhores do mundo, Prost, Lauda, Piquet, principalmente, porque naquela época, não tinha que ser campeão do mundo para fazer parte do time, tinha que ser um grande piloto, que não teve a sorte de ser campeão, varios nomes assim passaram pela FI e são inesqueciveis. Já hoje, quem não ganha o campeonato, é cabeça de bagre. Quem sabe, quem tem razão, talvez, todos nós, talvez ninguém. Os heróis do esporte, tem vida curta, e curta tambem, é a memoria do torcedor, enquanto em alguns paises, eles discutem esportistas de 30, 40, 50 anos atrás, nós por aqui, somos imediatistas, queremos o sucesso deles, pois acabamos assumindo esse sucesso como nosso, talvez esse seja o nosso principal defeito, aliado a uma memoria muita curta, costumamos, enterrar rapido os nossos idolos, e ficamos logo, com sede de outros.

    • Willian Ferreira

      Pois é, muitos dizem desse “medo”, mas eu, sinceramente, não entendo o motivo, pois o Francês não precisava ter medo de ninguém, era um grande e excepcional piloto.

      OBS: Por mais que o Ayrton fosse, na opinião dele, privilegiado nas equipes, não consigo entender o “medo”. Alain Prost sempre demonstrou ser competitivo na F1, independente de quem era o seu companheiro.

      Abs.

  9. Cancela esta merda e faz uma rodada dupla em interlagos, tanta briga por uma pista chatissima, fora do automobilismo os Barenitas estão certos a F1 como o Futebol as vezes serve para ser o famoso “Pão e Circo”, onde vai se mostrar para o mundo um país que na verdade não é assim….

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s