Red Bull Ring e a volta do GP da Áustria

Neste domingo ocorreu a esperada estreia do Red Bull Ring, um remodelamento do já conhecido A1-Ring, que abrigou a F1 desde 1997-2003 com o formato que conhecemos hoje em dia – E que é o desenho do traçado atual. Com novos boxes, salas e entorno, o seu aspecto é bastante similar ao que vimos em 2003, o último ano que o GP da Áustria apareceu na F1. E, obviamente, a questão da volta da corria austríaca com este circuito novo já é assunto no paddock.

Tudo aumenta de possibilidade quando sabe-se que o circuito foi comprado pela Red Bull em 2009, ou seja, pelo bilionário e já conhecido nosso no circo da F1, Dietrich Mateschitz, dono de 49% das ações das bebidas energizantes da Red Bull. Com toda a propaganda possível na melhor equipe da F1 atualmente, o negócio de ter um GP da Áustria novamente seria muito interessante para todas as partes que possam se envolver – Inclusive Bernie Ecclestone.

Sob o pretexto de que é positivo ter esse circuito pronto de novo e na resposta de “Quem sabe?” quando questionado pelo retorno, é que as esperanças de ter um GP europeu no calendário entre a “invasão árabe” possa ser vista com bons olhos. Ainda mais quando as equipes estarão exigindo a volta de alguns traçados do velho continente na renovação do Pacto de Concórdia, como revelou Domenicali recentemente.

Apesar de que Mateschitz planeje apenas receber a DTM (prevista para o dia 5 de junho) a F2 e outras categorias similares, o Red Bull Ring tem homologação da FIA para receber uma corrida de Fórmula 1, o que já passa de um sinal positivo.

O momento de euforia é grande – Pilotos como Vettel, Webber, Alguersuari e Schumacher estão elogiando bastante o evento em si -, e com a estreia mobilizando lendas vivas como Niki Lauda em um local clássico para o automobilismo em geral, talvez alguns planos ainda sem chances de ocorrerem possam ser ditos.

Mas não há dúvidas que o GP da Áustria tem um ótimo circuito, uma equipe que apesar de ter sede inglesa corre com a bandeira austríaca e, acima de tudo, a própria bebida Red Bull. Veremos qual será o interesse no seu retorno, já que com alguns GPs do atual calendário em risco (como Turquia), a entrada deste poderia ser em boa hora.

Particularmente acredito que faria bem para a F1 voltar a um circuito clássico – e não a mais um país asiático desconhecido -, com um bom apoio por parte do negócio em si.

Vocês gostariam de ver o Red Bull Ring de volta à F1?

15 pensamentos sobre “Red Bull Ring e a volta do GP da Áustria

  1. Só digo que seria excelente se surgissem fabricantes de bebidas energéticas em Portugal, no Principado de San Marino, no México e na França.
    Seria muito legal ver alguns “Tilkódromos” substituídos por Estoril, Ímola (com a Tamburello de volta, mas com uma área de escape maior e melhor), Hermanos Rodrigues e Paul Ricard (ou Dijon). Além do supracitado A1 Ring.

    • Seria ótimo. E, na realidade, as equipes e pilotos no fundo não gostam dos circuitos “sem alma” asiáticos adicionados nos últimos anos. Mas como a F1 é movida pelo dinheiro, é negócio…

  2. Vi lá boas corrrida…no antigamente.
    É de saudar o regresso à Europa…. que tem sido tão mal tratada.
    1 Abraço de PORTUGAL

  3. O que mais me preocupa nesta historia, é perceber bem claramente, que pais sem piloto, não tem mais GP. Alguns conseguiram se aguentar por mais ou menos tempo, mas, inevitavelmente acabaram por desaparecer do calendario. Hoje, temos uma invasão de autodromos movidos a petrodolares, que nos levam a virar madrugadas, o que deixa ainda mais atraente o retorno de autodromos como o Ring. Com regiões da Asia pegando fogo, acho, que podemos apostar em circuitos como Ring, e outros que poderão voltar a fazer parte do calendario da FI.

    • Nesse caso “sem piloto” que a Áustria passa, a Red Bull compensaria isso, e não necessariamente com a equipe mas sim com o energético. E o charme de ter de volta um circuito tão clássico em meio da maré asiática seria muito bom para a F1- Pelo menos no meu ponto de vista.

      Com Bernie interessado, 50% do caminho está andado.

      • Molhando a mão do véio ($$$$$$$$$) daria para fazer uma corrida de F1 até aqui no quarteirão de casa.

      • O negocio é torcer, para que o Santander use do mesmo espediente dos energeticos e segure o GP., Brasil por algum tempo, depois, que não tivermos mais pilotos no grid. Mas, se a Globo tambem cair fora, como normalmente acontece nesses casos, ai então, ninguém segura o nosso GP. Infelizmente.

  4. A Red Bull anda com muito cacife, é bem provavel que volte ao calendario. Basta achar uma brecha, ou então limar algum país que não esteja agradando Bernie.

  5. E ainda tem gente (um invejosinho chamado Lewis Hamilton) que se refere à RedBull como uma mera “fabricante de energéticos”.

    A RedBull está escrevendo até aqui uma extraordinária história no automobilismo.

    Que volte A1Ring ao calendário (se possível junto com o Algarve).

    • “A RedBull está escrevendo até aqui uma extraordinária história no automobilismo.”

      Sem sobra de dúvidas, é uma daquelas histórias que daqui a 2, 3 décadas será lembrada nos livros de F1 como um grande feito – O que é verdade. Espero que ela continue nesse patamar por algum tempo, o que deverá aumentar mais ainda a inveja de Ferrari, McLaren e cia.

  6. Ah claro que sim!!!!!! A1-Ring sempre foi um dos meus traçados favoritos, Seria muito bacana ter um traçado mais classico e desafiador de volta a F1, contribui muito para a emoção do esporte, mais o grande temor seria realmente a estetica e a lucratividade do evento…

  7. Seria ótimo para a F1 ver ao menos um grande circuito histórico assim voltar, quem sabe o gagá Bernie começe a valorizar um pouco o esporte. Não vejo nenhum empeçilho para o “Red Bull Ring” voltar ao calendário. Precisaria apenas de um aumento no traçado. Em 2002 eles faziam voltas em 1:09.

    • “Precisaria apenas de um aumento no traçado. Em 2002 eles faziam voltas em 1:09.”

      É isso que me deixa um pouco cético na verdade. Espero que se a ideia passar de apenas um plano não convoquem Tilke para aumentá-lo.

  8. Com certeza. É uma das pistas mais interessantes. Tem subidas, descidas, trechos de alta velocidade e algumas curvas rápidas na parte interna do circuito.

    Será muito legal ver a Áustria novamente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s