Williams: A mudança já começou

Como os rumores já indicavam, a Williams inicia a sua reestruturação do seu pessoal técnico e anuncia três saídas chaves da equipe: Patrick Head, o co-fundador da Williams, o diretor técnico Sam Michael e o engenheiro chefe Jon Tomlinson já não farão parte da equipe de Grove na próxima temporada. Com isso, entra em cena Mike Coughlan, que foi banido da F1 em 2007 no caso de espionagem à Ferrari por parte da McLaren.

Enquanto Frank Williams evoca seus pronunciamentos sobre a contratação de Coughlan e o arrependimento deste quanto ao que foi feito 4 anos atrás na McLaren, além do ótimo trabalho que Sam e Jon fizeram durante 10 e 5 anos cada um em Grove, realmente não há muito sobre o que ser dito: O que esperar em 2012?

Se bem que Mike traz a qualidade do seu trabalho, ainda teremos que ver quem serão os outros dois substitutos. Independente disso, sabe-se que o real problema da Williams desde 2004 é a falta de capital para investir em seus carros, o que é essencial para manter um bom nível durante o ano todo. A tentativa é conseguir isso com a vinda do patrocínio da PDVSA com Maldonado, só que até agora, com um carro fraco, 2011 parece ser um ano perdido.

A Williams até poderá evoluir nesta temporada e vir forte em 2012 (como vem sendo a promessa faz alguns anos), mas até não haver nenhuma base forte ao seu lado, como foi a BMW até a metade da década de 2000, vencer novamente promete ser difícil.

19 pensamentos sobre “Williams: A mudança já começou

  1. Na Fórmula 1 atual, quem não tiver boas fontes de recursos financeiros ou uma boa parceria, dificilmente conseguirá manter alto nível de competitividade.

    Desde 2005 a Williams vem sofrendo com a falta de um bom motor. Os construtores de Grove conseguem produzir um chassi de qualidade, mas falta dinheiro e um motor que empurre os carros.

  2. Sem duvida alguma, um dos problemas mais aflitivos na Willians é a falta de um propulsor de qualidade. Quem sabe, para o ano que vem, não pinta alguma coisa melhor, que os motores atuais e algum dinheiro extra, pois FI., é movida a muito dinheiro, disso ninguém duvida.

  3. Um dos principais reflexos da saída das montadoras (BMW, Honda, Toyota) Foi reduzir para 4 as opções de motores na Fórmula 1: Renault, Mercedes, Ferrari e Cosworth. As duas primeiras já são disputadas a tapas entre as equipes de ponta, ou novatas endinheiradas como o Team Lotus. Não sei quais seriam os critérios da Ferrari para fornecer motores para outra equipe além da Minar… oops, Toro Rosso. Se não me engano, a Ferrari forneceu para a Spyker anteriormente.
    Acho que uma das coisas mais interessantes que poderia acontecer na Fórmula 1 seria a volta (estimulada pela redução do tamanho dos motores) da Porsche, BMW e Honda como fornecedores de motor.
    Se cada fornecedor desse trabalhasse com uma equipe de ponta (vamos supor que a Williams voltaria a ser uma) e uma intermediária/pequena, acredito que voltaria a ter uma alternância de vitórias como havia na década de 80 (exceto por 88/89, não teve nenhuma temporada com vitórias de menos que 4 equipes diferentes)

  4. Se já estava ruim com Head, Michael e Tomlinson, imagina sem eles. Infelizmente a Williams dá sinais de que não dura muito mais na F1.

  5. Rosberg pode substituir Massa na Ferrari, afirma revista,

    O piloto alemão Nico Rosberg, que atualmente compete pela Mercedes, é o candidato a substituir o brasileiro Felipe Massa, da Ferrari, na próxima temporada de Fórmula 1, segundo a imprensa esportiva.

    A revista Autosprint revelou que “já houve um contato” entre a Ferrari e o piloto, e que a Mercedes não se oporia à ida do alemão à escuderia italiana.

    Massa, por sua vez, poderia somar-se ao também alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, no lugar do australiano Mark Webber.

    Fonte: http://esporte.uol.com.br/f1/ultimas-noticias/2011/05/03/rosberg-pode-substituir-massa-na-ferrari-afirma-revista.jhtm

    • Se isso realmente acontecer estou mais do que feliz. Mesmo que Massa vá ser segundo piloto na Red Bull é melhor do que na Ferrari, mesmo que vá tomar uma sova de Vettel. Só por sair de uma equipe dessas, já está ótimo.

    • Boatos. Estamos entrando na temporada dos boatos, agora até o final do ano, muitos irão se somar e com certeza metade deles não vão se concretizar, basta esperar.

  6. Que pena ver uma equipe como a Williams que já teve carros campeões, se arrastando na pista!! Quero ver quem substitui os outros dois. É!, pelo jeito é fim de linha para Barrichello também!

  7. “Mike Coughlan, que foi banido da F1 em 2007”
    Pequena correção: Coughlan não foi banido, prova disso que ele está de volta a categoria. Ele foi suspenso (acho que por 2 anos, nao tenho certeza).

  8. Sem um grande motor, sem um grande piloto, sem um grande projetista, o que esperar? O que esta salvando é a grana do Maldonado, acho que a PDVSA vai cair fora, já percebeu que a equipe é barca furada. A temporada mal começou e a Williams teve forte queda de 27% na bolsa de valores, como segurar patrocinador assim? Quando dá negativo de 2,3 % na bolsa os caras já ficam desesperado, imagina uma paulada de 27% , em um mês? Não vejo solução, parece ser o fim da equipe Willliams na Formula 1, não fiquem surpresos se Frank Williams pedir o relógio do Rubinho emprestado pra penhorar. Rubinho no momento é mais rico que a própria equipe…rs

    Ações da Williams despencam na bolsa de valores

    Insucessos de Barrichello e Maldonado no início da temporada 2010 faz time perder valor e um de seus investidores ter grande prejuízo

    O pior início de temporada na história da Williams já trouxe os primeiros prejuízos financeiros: de acordo com o jornal inglês “The Guardian”, as ações da escuderia na bolsa de valores de Frankfurt caíram 27% em um único mês.

    A maior vítima desta mudança drástica no valor foi a firma de investimentos holandesa Cyrte: fundada pelo bilionário John de Mol, o mesmo que criou o sucesso da TV “Big Brother”, o grupo se tornou o mais investidor da Williams ao comprar 5% das ações. Mas a queda do time influenciou nas fortunas da Cyrte, que perdeu 3,3 milhões de libras (cerca de R$ 8,5 mi) desde que entrou no jogo.

    De acordo com o consultor de patrocínios Julian Cottam, a Williams pode encontrar dificuldades em substituir seus apoios, uma vez que a queda no valor de suas ações pode criar uma imagem pobre: “Não posso ver nenhuma motivação para uma marca se alinhar a uma equipe que fez uma decisão defeituosa. Não vejo motivos para Patrick Head ser tão determinado em vender suas ações em um momento que a Williams enfrenta uma estiagem de sucesso.”

    Segunda equipe mais bem-sucedida da F-1, a Williams não vence uma prova desde 2004 e perdeu seus principais patrocinadores, como o Banco Real da Escócia (RBS) e a AirAsia. Nos último cinco anos, o time teve perdas de R$ 81,2 milhões (31,5 mi de libras).

    http://www.totalrace.com.br/site/noticia/2011/04/acoes-da-williams-despencam-na-bolsa-de-valores

  9. Dá até medo…

    Rubinho na Turquia

    2005, Ferrari – 10°, 11° no grid
    2006, Honda – 8°, 13° no grid
    2007, Honda – 17°, 22° no grid
    2008, Honda – 14°, 12° no grid
    2009, Brawn GP – abandono, 3° no grid
    2010, Williams – 14°, 15° no grid

    2009 o Rubinho deu “show”, isso eu me lembro muito bem, só faltou entrar para a turma do Didi!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s